Uma prática de UX utilizando o Whatsapp

Uma prática de UX utilizando o Whatsapp

Existem várias práticas que podem identificar as necessidades, desejos e limitações de usuários durante todo o projeto, mas o grande desafio é utilizar essas práticas de uma forma que o usuário seja colocado no centro e conseguir a profundidade necessária para chegar à empatia sem levar dois anos de pesquisa para isso. É aí que o Whatsapp entra. Nesse artigo vou mostrar como essa ferramenta comum, que todo mundo usa, pode ser utilizada como instrumento de pesquisa.

Para a criação de personas é necessário traçar um perfil de uma amostragem grande de usuários. Mas como conhecer esses usuários? Indo a campo e conhecendo o dia a dia deles, porém é complicado chegar a um desconhecido e fazer várias perguntas sobre ele, até coisas pessoais que ele jamais contaria para um desconhecido.

Então o plano é:
Encontrar pessoas com perfis do público alvo desejado e abordá-los de forma convincente e empática, a fim de que participem da pesquisa voluntariamente, compartilhando tudo sobre suas rotinas diárias durante uma semana pelo whatsapp, em troca receberão um prêmio.

Para executar esse plano de ação, é necessário definir alguns itens:

1- Hipóteses e objetivos: Definir o objetivo da coleta de informações sobre os usuários para a criação de personas e montar uma estratégia de abordagem, considerando a possibilidades dos usuários aceitarem ou não fazerem parte da pesquisa.

2 – Referência de materiais e contextualização: Definir o material que será dado aos voluntários de acordo com o contexto e objetivo da pesquisa.

3 – Segmentação: Quem são, onde e como encontrar as pessoas com perfis do público alvo desejado?

4 – Formato do Kit: Definição do tipo de kit que será dado aos voluntários para apoio e instruções durante a pesquisa.

5 – Roteiro – Pré-diário: Escrever um roteiro detalhado com todas as regras da pesquisa para os voluntários.

6 – Roteiro – Whatsapp: Escrever um roteiro explicativo sobre frequências e assunto das conversas pelo whatsapp durante uma semana.

7 – Pontos para retornar – Pesquisados: Marcar uma data, horário e local para a formalização do fim da pesquisa e entrega dos prêmios.

8 – Definição do prêmio: Definir o tipo de prêmio que será dado de acordo com a verba disponibilizada.

9 – Termo de adesão da pesquisa contínua: Criar um termo com todas as regra de adesão e cancelamento da pesquisa.

10 – Autorização de uso de imagem: Criar um documento onde autoriza o pesquisador a utilizar informações e imagens dos voluntários.

Após a definição do plano de ação, o próximo passo é sair às ruas.

Ao encontrar pessoas com perfis do público alvo desejado, o pesquisador deve apresentar-se e explicar sobre a pesquisa. Se a pessoa aceitar a ser voluntário, é só formalizar o acordo:

Obrigada por aceitar compartilhar sua rotina do dia a dia conosco. A partir de agora, você é nosso voluntário e iremos conversar pelo whatsapp durante uma semana.

O pesquisador pega o numero do whatsapp da pessoa e dá a ele o kit com o roteiro do diário de Whatsapp, o termo de adesão, autorização de imagem e em seguida explica algumas regras da pesquisa:

Você precisa conversar comigo todos os dias pelo whatsapp, se cumprir com esse roteiro corretamente durante uma semana, ao final receberá o prêmio (Exemplo: 100 reais), porém se falhar com o roteiro, interromperemos a pesquisa e consequentemente você não receberá o prêmio. Daqui uma semana nos encontramos nesse mesmo lugar e nesse mesmo horário para finalizarmos a pesquisa e fazer a entrega do prêmio.

Após isso, o pesquisador deve conversar com esses voluntários durante uma semana para conhecer suas rotinas, como se fosse um diário.

Depois de uma semana, para finalizar, o pesquisador deve encontrar-se com os voluntários nos locais combinados, agradecer suas participações e dar o prêmio de cada um, conforme o combinado. Esses prêmios não precisam ser exatamente os 100 reais, mas qualquer coisa que estimule eles a ajudarem na pesquisa e ao mesmo tempo se encaixe no orçamento disponibilizado para o pesquisador.

Assim é possível utilizar uma prática de UX com uma ferramenta comum, utilizada por todos e obter informações reais, de pessoas com rotinas reais e ser muito mais preciso ao criar uma solução digital para o problema desse público.

Núbia Araújo

Núbia Araújo

UX/UI na Tegra