Bem estar no ambiente de trabalho

Bem estar no ambiente de trabalho

Vivemos uma mudança importante na forma de enxergar o ambiente de trabalho.  Os colaboradores hoje valorizam além de remuneração e benefícios, o local e cultura das Organizações, afinal, passamos grande parte do nosso dia na empresa.

“A qualidade de vida no trabalho está relacionada ao conjunto de ações que uma organização aplica para oferecer condições plenas de trabalho, desenvolvimento humano, bons relacionamentos interpessoais e bem-estar dentro e fora da empresa.” Sociedade Brasileira de Coaching, 2017.

Existem várias formas de promover o bem estar aos colaboradores, dentre elas podemos citar, a cultura. Empresas que favorecem interação, relações respeitosas e líderes colaborativos ganham em muito na qualidade de vida de seus colaboradores.

Empresas como GE, Vale, Unimed e Delloite organizam campeonatos esportivos para incentivarem a prática do esporte, da saúde e dos relacionamentos interpessoais.

O estímulo do espírito de equipe faz toda a diferença para Organizações e aos líderes engajados, pois os resultados são mensurados através de objetivos coletivos e não individuais, o que aumenta a produtividade de forma exponencial.

Empresas que oferecem oportunidades claras de futuro têm colaboradores mais motivados, já que estes veem as chances de evoluir em sua carreira de uma forma palpável, e por isso, se dedicam ainda mais.

A flexibilidade é outro fator importante, tanto para o cumprimento da carga horária, como forma de execução do trabalho. O aumento do “Home Office” é significativo nos últimos anos, principalmente em grandes metrópoles, e a tendência é que continue neste crescimento.

Muitas Organizações contam com ambientes descontraídos, chamados entre tantos nomes, de “ descompressão”, para que os colaboradores descansem entre as atividades e interajam com a equipe, alguns contam com videogame, mesas para jogos, espaços para leitura, levando em consideração cultura e maior interesse dos colaboradores.

É essencial portanto que itens como ergonomia, segurança, iluminação, temperatura, sonoridade e higiene sejam itens indispensáveis para todas as Organizações, da menor a maior.

Segundo a “Revista Forbs”, de 2018, o bem-estar dos funcionários têm impactos mais profundos. A revista “Harvard Business Review” publicou que, em média, empregadores que investem em saúde e bem-estar viram US$ 6 em economias de saúde para cada dólar aplicado nesse tipo de iniciativa. A instituição de pesquisas e análises Rand Corporation estima que o ROI (retorno sobre investimento) para negócios em geral é de US$ 1,50 para cada dólar gasto, enquanto a média para a prevenção de doenças é de US$ 3,80 para cada dólar investido.

Esse tipo de postura aproxima a Corporação do colaborador, o que melhora o clima organizacional e contribui para que o funcionário se sinta valorizado.

“A verdade é que ninguém é feliz por ser bem-sucedido, a pessoa é bem-sucedida porque é feliz!” Sociedade Brasileira de Coaching, 2017.

É importante compreender que a qualidade de vida no trabalho não está atrelada somente  à área profissional ou é apenas de importância das empresas, sendo um item importante para saúde física e mental do bem mais precioso das Organizações: as pessoas!

 

 

Sobre deixar seu melhor por onde passar — O caso da cozinha

Sobre deixar seu melhor por onde passar — O caso da cozinha

Em minha rotina de trabalho, costumo almoçar quase todos os dias na cozinha da empresa. Além de ganhar tempo, me distraio e converso com meus colegas de trabalho.

Em uma dessas conversas, papo vai e papo vem, levantei da mesa para lavar minha louça. Nesse momento, um dos meus colegas pediu para lavar os talheres dele. E pronto! Foi o início da brincadeira, onde todos foram deixando seus talheres para eu lavar. Em meio as risadas, não hesitei em falar: “Eu não vou lavar, não! Cada um leva o seu.” A brincadeira continuou enquanto lavava os talheres de todos.

Poderia ter sido mais uma brincadeira típica do nosso cotidiano extrovertido, se não fosse uma história contada por outro colega, pertinente ao ocorrido da louça e que muito me chamou a atenção. Guardei a “história do escoteiro” como costumo chamá-la, como nota mental e venho digerindo-a ao longo dos dias.


História do escoteiro

Resumidamente, a história conta que uma das regras de escoteiro é deixar o lugar melhor que encontrou, no caso da cozinha, deixá-la mais limpa. Ou seja, sempre buscar fazer um pouco melhor em todos os lugares que passar, coisas que fazer.

A partir de então, comecei a observar nos grupos que convivo e lugares que frequento o comportamento das pessoas, inclusive o meu. A conclusão que cheguei é que realmente, na maioria das vezes, a história do escoteiro é apenas história.

Em pequenas coisas, como guardar a bandeja no shopping após comer aquele lanche, limpar a mesa após almoçar, pegar papel caído no chão mesmo que outra pessoa tenha jogado. Foram nesses detalhes que percebi que as pessoas não se preocupam tanto (claro que isso não é regra) em fazer o melhor por onde passam.

A história contada pelo meu colega me fez refletir como posso fazer meu melhor todos os dias, seja em projetos do trabalho, relacionamento, amizades. Procurando sempre pensar que são os detalhes que, no final, fazem a diferença, embora muitas vezes imperceptíveis.

Moral do caso da cozinha é que sempre devemos nos colocar no lugar do próximo. Essa frase, embora soe tão bonita, é difícil de se praticar e acredito que a melhor maneira é começar pelas coisas simples. Então por que não deixarmos a cozinha mais limpa do que encontramos?