Dia a Dia Archives - Tegra
COVID-19 e o trabalho remoto: benefícios e desafios

COVID-19 e o trabalho remoto: benefícios e desafios

O COVID-19 chegou e fez com que os negócios se adaptassem. Uma das adaptações foi o trabalho remoto.

O trabalho remoto é uma faca de 2 gumes. Ao mesmo tempo que oferece o benefício da flexibilidade, requer disciplina.

Pensando em lançar um olhar mais abrangente sobre este tema, este conteúdo buscar expandir a consciência sobre o trabalho e trazer significado naquilo que realizamos, ainda que fisicamente distante.

Desafios a serem superados

Encontrar um “canto”, adaptar-se aos barulhos, filhos gritando, cônjuge chamando, estes são apenas alguns dos desafios que precisarão serem superados.

A boa notícia é que é SIM possível superá-los, e ainda por cima com alegria e bom humor 🙂

Auto Gerenciamento

Avise em casa que você está trabalhando

Parece que não, mas o fato de você estar fisicamente em frente ao computador pode dar a sensação a quem convive contigo, de que você está disponível.

Ajuda muito o ato de conversar com quem convive e explicar que você está trabalhando e que interrupções devem ocorrer somente em casos urgentes.

Esta consciência coletiva ajuda bastante na cooperação com o seu trabalho.

Você precisa de disciplina, não de motivação

Por mais auto motivado que você seja, o barulho das outras pessoas na casa, o stress dos filhos brincando/brigando e do cônjuge te distraindo ao te pedir algo são fatores que derrubam a motivação até mesmo do Super Homem.

Nestes momentos a disciplina é a chave para conseguir fazer aquilo que precisa ser feito.

E para você conseguir saber se sua disciplina está funcionando, estabeleça rotinas: horário para começar o trabalho, trocar de roupa como se estivesse indo para um outro lugar, horário para parar de trabalhar, etc.

Foco!

Pomodoro é uma técnica para gerenciamento de tempo e que resumidamente trabalha em ciclos de 25 minutos.

Nestes ciclo, você se auto estabelece um ponto a alcançar: finalizar uma tarefa, terminar uma leitura, realizar um relatório, montar uma proposta, etc.

Nestes 25 minutos você tira tudo aquilo que possa tirar sua atenção: fecha a aba do whatsapp, deixa o celular no silencioso e longe do alcance de suas mãos, coloca o fone de ouvido, trabalha somente em uma única aba e toda vez que sua mente querer escapar, você traz ela de volta para o foco.

Como se trata de um ciclo rápido, o tempo passa muito rápido, e o resultado geralmente é alcançado.

O poder das pausas

Tão importante quanto o foco são as pausas.

Ao finalizar um ciclo de pomodoro e alcançar um resultado, comemore e premie-se.

Este presente pode vir em forma de tomar um café, beber uma água, ver o celular, navegar na rede social, levantar e um alongamento, enfim, aquilo que seu corpo e mente te pedir e que tome entre 5 a 10 minutos, no máximo.

Neste combo de foco + premiação, mentalmente você estabelece marcos de contentamento, o que traz uma boa sensação de progresso e aprendizado, tornando prazeroso o trabalho, gerando significado ao que está sendo feito apesar de todos os desafios que surgem.

Reuniões

Chamadas de áudio e vídeo cansam mais, comprovadamente, pois demanda muito mais atenção e gera muito mais stress do que uma conversa ao vivo.

Para que você tenha reuniões mais produtivas e menos cansativas, tenha atenção aos pontos abaixo:

  • Preparação: antes de entrar na reunião estruture o que se espera alcançar com a reunião
  • TimeBox: antes de iniciar o tema em si é importante solicitar o foco dos participantes e o tempo máximo que se deseja finalizar os tópicos
  • Pauta: coloque os tópicos que se pretende abordar durante a reunião
  • Abra a câmera: abrir a câmera é um fator humano, gera confiança e empatia
  • Microfone no mudo: somente abra seu microfone quando for falar para evitar ruídos desnecessários

Liderança

O papel da liderança para o trabalho remoto é fundamental. É a liderança que gera a “cola” que direciona, dá ritmo e desenvolve o time.

Para que você tenha sucesso como líder, listo alguns tópicos a serem observados:

Conduta a evitar:

  • Comando controle
  • Fiscalizar funções

Conduta a adotar:

  • Confiança baseado em resultados entregues, ao invés de controle: abrir mão do controle do tipo que micro gerencia as atividades do outro para um papel de “vamos juntos alcançar este resultado” e colocar-se como um parceiro em dar luz, direção e remover impedimentos para seus liderados
  • Delegar com maestria: diferente do “delargar” em que o líder passa uma tarefa, vai embora e quer pronto quando voltar, é ter o cuidado de delegar dando significado a quem recebe a delegação. Exemplos:

Exemplo 1: Delargar
Líder Maurício delargando atividade para o liderado João:
Maurício diz: __ “João, quero que você me entregue o relatório de resultados. Obrigado”

João responde: __ “Sim, senhor.”

3 dias depois, Maurício pergunta a João: __ “Cadê o relatório João?”

João responde: __ “Ainda não terminei. Estou trabalhando nele e termino em uns 2 dias mais ou menos”

Maurício se desespera: __ “Mas era para estar pronto hoje” e começa a discutir com João e o stress toma conta.

Exemplo 2:Delegar:

Líder Maurício delegando resultado para o liderado João:
Maurício diz: __ “Oi João, tudo bem? Preciso que você entregue o relatório de resultados, com as informações A, B e C pois elas serão utilizados pelo comprador Antônio para tomar a decisão de compra. Ele precisa destas informações em sua mão em 3 dias. Você consegue entregá-lo?”

João responde: __ “Sim, senhor.”

Maurício diz: __ “Que ótimo. Você consegue me explicar como fará para gerar estas informações? “

João responde: __ “A informação A virá das receitas e a informação B virá dos custos. A informação, pensando bem, não sei como calcular.”

Maurício diz: __ “A informação C é um cálculo de A-B, conforme alinhei com o comprador Antônio. Caso surja alguma outra dúvida, me ligue, não importa o horário ok?”

2 dias depois, Maurício liga para João: __ “Oi João, tudo bem? Está precisando de alguma ajuda para finalizar o relatório até a data de amanhã?”

João responde: __ “Acredito que sim. Você confere se o logotipo está no local correto, por favor? “

Maurício diz: __ “O local está correto, mas esta logotipo está desatualizada, substitua por esta outra, por favor”

1 dia depois, João liga para Maurício: __ “Oi Maurício, tudo bem? Terminei o relatório e testei os dados. Envio para você ou para o comprador Antônio diretamente?”

No exemplo 1, líder e liderado não se conversaram, não houve o alinhamento sobre o que deveria ser feito, por que, para quem, quando. Resultado: o relatório não ficou pronto, o colaborador frustrado e o líder estressado.

No exemplo 2, líder e liderado alinharam o que seria feito, quando, para quem, por que, fizeram um momento de checagem prévia antes de finalizar a tarefa. Resultado: clareza, confiança, significado, satisfação, além do sucesso na execução em si.

Ferramentas

Para nossa sorte, vivemos um momento em que temos muitos recursos tecnológicos que nos permitem realizar nosso trabalho, ainda que fisicamente distante, com maestria. Alguns tópicos necessários e importantes para o uso das ferramentas:

  • Cultura ágil + OKRs: para que não sabe onde se quer chegar, qualquer caminho serve, disse o gato em Alice no País das Maravilhas. Construir em time, macro objetivos gera significa e autonomia aos membros deste time
  • Gestão visual compartilhada: é muito importante que as informações referente as atividades que estão sendo feitas, por quem, quem está disponível estejam disponíveis a todos e em tempo real. Para isso, ferramentas de produtividade, painéis digitais de kanban com cards de tarefa de no máximo meio período, são formatos que permitem um acompanhamento e apoio com muita agilidade
  • Burndown: é um painel de visão de time dá a todos a visão do resultado conjunto e negociar ajustes em prioridades e produtividade visando o resultado do coletivo, ao invés do individual
  • Líder diz nós, não eu: a conquista da confiança do time se dá através do trabalho com responsabilidades distribuídas, em que o líder tem o papel de remover impedimentos e orientar, lado a lado com o time. Além do exemplo dado atuando desta forma, desenvolve talentos.
  • Conheça seu time: conhecer as pessoas do time, quem são, do que gostam, o que valorizam, seus interesses profissionais e pessoais, seus gostos, seus dons, etc., é fator muito importante para o desenvolvimento dos liderados e alta performance.

Abaixo, sonar de habilidade x vontade. O racional aqui é o seguinte:

  • + Vontade; + Habilidade: são as pessoas que querem desafios. Delegue!
  • – Vontade; + Habilidade: são as pessoas que precisam de um significado no que fazem, e isso se dá, quando enxerga o impacto que seu trabalho gera na vida do outro.
  • + Vontade; – Habilidade: é a pessoa que está com gás e precisa de direcionamento sobre quais conhecimento e competências deve desenvolver. Direcione!
  • – Vontade; -Habilidade: se nem a vontade e nem a habilidade estiverem presente trata-se de alguém não compatível com o que está fazendo. Ela deve sair desta posição.

Abaixo, sonar de alinhamento x autonomia. O racional aqui é o seguinte:

  • + Alinhamento; + Autonomia: sua liderança e o time estão voando alto 🙂
  • + Alinhamento; -Autonomia: é o perfil do chefe da área industrial
  • – Alinhamento; + Autonomia: se cada um do time fizer o que quiser e não estão alinhados, o resultado é um quebra-cabeça em que as peças não se encaixam. Um verdadeiro caos
  • – Alinhamento; -Autonomia: trata-se de um time medíocre

Conclusão

Aqui na Tegra nossa experiência com o trabalho remoto tem se mostrado muito feliz 🙂

Nunca estivemos tão alinhados, próximos de nossos clientes e entre nós mesmos.

Temos desafios a frente e estamos confiantes de que esta experiência nos trouxe grandes oportunidades pois nos convida a exercitar um olhar apreciativo, que valoriza o positivo, apesar do negativo, exige de nós aumento de maturidade através do foco e da disciplina e que nos traz alegria por aprendermos muito, todos os dias.

Até a próxima 🙂

Bem estar no ambiente de trabalho

Bem estar no ambiente de trabalho

Vivemos uma mudança importante na forma de enxergar o ambiente de trabalho.  Os colaboradores hoje valorizam além de remuneração e benefícios, o local e cultura das Organizações, afinal, passamos grande parte do nosso dia na empresa.

“A qualidade de vida no trabalho está relacionada ao conjunto de ações que uma organização aplica para oferecer condições plenas de trabalho, desenvolvimento humano, bons relacionamentos interpessoais e bem-estar dentro e fora da empresa.” Sociedade Brasileira de Coaching, 2017.

Existem várias formas de promover o bem estar aos colaboradores, dentre elas podemos citar, a cultura. Empresas que favorecem interação, relações respeitosas e líderes colaborativos ganham em muito na qualidade de vida de seus colaboradores.

Empresas como GE, Vale, Unimed e Delloite organizam campeonatos esportivos para incentivarem a prática do esporte, da saúde e dos relacionamentos interpessoais.

O estímulo do espírito de equipe faz toda a diferença para Organizações e aos líderes engajados, pois os resultados são mensurados através de objetivos coletivos e não individuais, o que aumenta a produtividade de forma exponencial.

Empresas que oferecem oportunidades claras de futuro têm colaboradores mais motivados, já que estes veem as chances de evoluir em sua carreira de uma forma palpável, e por isso, se dedicam ainda mais.

A flexibilidade é outro fator importante, tanto para o cumprimento da carga horária, como forma de execução do trabalho. O aumento do “Home Office” é significativo nos últimos anos, principalmente em grandes metrópoles, e a tendência é que continue neste crescimento.

Muitas Organizações contam com ambientes descontraídos, chamados entre tantos nomes, de “ descompressão”, para que os colaboradores descansem entre as atividades e interajam com a equipe, alguns contam com videogame, mesas para jogos, espaços para leitura, levando em consideração cultura e maior interesse dos colaboradores.

É essencial portanto que itens como ergonomia, segurança, iluminação, temperatura, sonoridade e higiene sejam itens indispensáveis para todas as Organizações, da menor a maior.

Segundo a “Revista Forbs”, de 2018, o bem-estar dos funcionários têm impactos mais profundos. A revista “Harvard Business Review” publicou que, em média, empregadores que investem em saúde e bem-estar viram US$ 6 em economias de saúde para cada dólar aplicado nesse tipo de iniciativa. A instituição de pesquisas e análises Rand Corporation estima que o ROI (retorno sobre investimento) para negócios em geral é de US$ 1,50 para cada dólar gasto, enquanto a média para a prevenção de doenças é de US$ 3,80 para cada dólar investido.

Esse tipo de postura aproxima a Corporação do colaborador, o que melhora o clima organizacional e contribui para que o funcionário se sinta valorizado.

“A verdade é que ninguém é feliz por ser bem-sucedido, a pessoa é bem-sucedida porque é feliz!” Sociedade Brasileira de Coaching, 2017.

É importante compreender que a qualidade de vida no trabalho não está atrelada somente  à área profissional ou é apenas de importância das empresas, sendo um item importante para saúde física e mental do bem mais precioso das Organizações: as pessoas!

 

 

Sobre deixar seu melhor por onde passar — O caso da cozinha

Sobre deixar seu melhor por onde passar — O caso da cozinha

Em minha rotina de trabalho, costumo almoçar quase todos os dias na cozinha da empresa. Além de ganhar tempo, me distraio e converso com meus colegas de trabalho.

Em uma dessas conversas, papo vai e papo vem, levantei da mesa para lavar minha louça. Nesse momento, um dos meus colegas pediu para lavar os talheres dele. E pronto! Foi o início da brincadeira, onde todos foram deixando seus talheres para eu lavar. Em meio as risadas, não hesitei em falar: “Eu não vou lavar, não! Cada um leva o seu.” A brincadeira continuou enquanto lavava os talheres de todos.

Poderia ter sido mais uma brincadeira típica do nosso cotidiano extrovertido, se não fosse uma história contada por outro colega, pertinente ao ocorrido da louça e que muito me chamou a atenção. Guardei a “história do escoteiro” como costumo chamá-la, como nota mental e venho digerindo-a ao longo dos dias.


História do escoteiro

Resumidamente, a história conta que uma das regras de escoteiro é deixar o lugar melhor que encontrou, no caso da cozinha, deixá-la mais limpa. Ou seja, sempre buscar fazer um pouco melhor em todos os lugares que passar, coisas que fazer.

A partir de então, comecei a observar nos grupos que convivo e lugares que frequento o comportamento das pessoas, inclusive o meu. A conclusão que cheguei é que realmente, na maioria das vezes, a história do escoteiro é apenas história.

Em pequenas coisas, como guardar a bandeja no shopping após comer aquele lanche, limpar a mesa após almoçar, pegar papel caído no chão mesmo que outra pessoa tenha jogado. Foram nesses detalhes que percebi que as pessoas não se preocupam tanto (claro que isso não é regra) em fazer o melhor por onde passam.

A história contada pelo meu colega me fez refletir como posso fazer meu melhor todos os dias, seja em projetos do trabalho, relacionamento, amizades. Procurando sempre pensar que são os detalhes que, no final, fazem a diferença, embora muitas vezes imperceptíveis.

Moral do caso da cozinha é que sempre devemos nos colocar no lugar do próximo. Essa frase, embora soe tão bonita, é difícil de se praticar e acredito que a melhor maneira é começar pelas coisas simples. Então por que não deixarmos a cozinha mais limpa do que encontramos?