Tecnologia Archives - Tegra
Tecnologias disruptivas: o que são, como funcionam e qual a importância?

Tecnologias disruptivas: o que são, como funcionam e qual a importância?

Você sabe o que são as tecnologias disruptivas? Elas têm tudo a ver com as diversas transformações no segmento tecnológico, vividas nos últimos anos. Aliás, novas ferramentas estão cada vez mais presentes nas rotinas das empresas e das famílias. Diante da velocidade das mudanças, é muito importante ficar por dentro das novas tendências e, além disso, manter-se atualizado.

Está interessado em saber mais sobre esse assunto? Neste post, explicaremos detalhadamente o que são as tecnologias disruptivas, de que forma elas podem impactar a rotina de uma organização, quais são as ferramentas com esse perfil e a importância de ficar de olho nas novidades desse segmento. Confira!

O que são as tecnologias disruptivas?

Antes de explicar o que são as ferramentas disruptivas, é preciso compreender o significado do termo disrupção. Essa palavra faz referência ao ato de quebrar ou descontinuar um determinado procedimento que já estava consolidado, ou estabelecido.

Quando aplicada ao contexto organizacional e tecnológico, a disrupção é tratada como um modelo de negócio que propõe algo diferenciado e inovador no mercado, ou seja, há uma quebra com padrões até então vigentes.

As tecnologias disruptivas fazem referência, portanto, às ferramentas que surgem no mercado e proporcionam o nascimento de novos serviços ou produtos inovadores. Elas causam várias transformações e rompem com padrões até então em vigor.

Por outro lado, é muito importante destacar que uma ferramenta disruptiva não pode ser vista como reacionária, pois ela não tem a intenção de acabar com algo já existente, mas sim introduzir uma novidade no mercado.

Como elas impactam a rotina das empresas?

As tecnologias disruptivas influenciam diretamente na rotina das organizações. Elas contribuem para as empresas buscarem formas de se adaptarem às transformações proporcionadas pelas novas ferramentas e também implementarem as tecnologias no negócio.

Além disso, é muito importante destacar que essas ferramentas ajudam a otimizar a produtividade, encontrar gargalos nos procedimentos, aprimorar as tarefas cotidianas e na entrega de um melhor produto ou serviço ao cliente, ou seja, tendem a fornecer uma experiência diferenciada ao consumidor.

Diante de todas essas questões, podemos dizer que as novas tecnologias são um dos fatores que auxiliam as empresas a aumentarem o número de vendas, conquistar novos clientes e, consequentemente, elevar as receitas e os lucros. Então, que tal conhecê-las e aplicá-las em seu negócio?

Quais são as tecnologias com perfil disruptivo?

Existem diversas ferramentas que apresentam perfil disruptivo. Elas têm características distintas, por isso, é muito importante conhecê-las. A lista inclui, por exemplo, a Inteligência Artificial, a Internet das Coisas, o Machine Learning e o Blockchain. Explicaremos sobre cada uma detalhadamente na sequência do artigo. Continue lendo!

Inteligência Artificial

Com o uso dessa ferramenta, sistemas informatizados e robôs são equipados com o intuito de realizar atribuições parecidas com as desempenhadas pelos seres humanos. Um exemplo dessa prática são os chatbots. Trata-se de robôs virtuais que conversam com os internautas com a intenção de esclarecer as dúvidas mais frequentes e fornecer as devidas orientações em relação ao uso de determinados produtos ou serviços.

O Machine Learning, sobre o qual falaremos com mais detalhes ainda neste post, é um dos braços da Inteligência Artificial. A partir da utilização de algoritmos, um software é capaz de aprender a realizar as tarefas da maneira mais otimizada possível e sem ser programado para isso.

Internet das Coisas

Conhecida também como Internet of Things, a Internet das Coisas (IoT) é uma ferramenta que tem transformado áreas de diversos segmentos organizacionais. Entre elas, a saúde, as vendas, a logística, o marketing e o meio ambiente. Essa tecnologia disruptiva mistura conectividade com a inteligência e a infraestrutura física. Com isso, diversos elementos (carros, televisores, roupas, geladeiras, entre outros) passam a estar conectados à internet.

Machine Learning

Traduzindo para o português, esse termo significa aprendizado de máquina. Ele faz referência a uma metodologia de análise de dados que é responsável por automatizar a construção de modelos de analíticos. Trata-se de uma parte da inteligência artificial calcada na ideia de que os sistemas são capazes de aprender com dados, identificar padrões e, com isso, tomar decisões com o mínimo de intervenção do ser humano.

Blockchain

Inicialmente, essa ferramenta foi inventada com a intenção de servir de base para a criação do Bitcoin e outras moedas digitais. Somado a isso, esse recurso tecnológico tem sido aplicado em diversos tipos de transações, as quais são registradas em vários computadores.

Voltando a falar do Bitcoin, a tecnologia Blockchain é responsável por fazer o envio e o recebimento de valores. Isso contribui para assegurar a agilidade e a segurança das relações de trocas em todo o mundo.

Dessa maneira, podemos considerar o Blockchain como uma estrutura de dados que faz o registro de diversas transações. Cada uma delas recebe uma assinatura digital com o intuito de assegurar a autenticidade e a integridade de um documento.

Agora você pode estar se perguntando: qual é o objetivo da autenticidade e da integridade? A finalidade da autenticidade é a de garantir a autoria da pessoa que produziu uma determinada mensagem. A integridade, por sua vez, visa assegurar que um documento não passou por adulterações.

Qual é a importância de ficar por dentro das novidades desse segmento?

O setor tecnológico apresenta diversas mudanças e elas acontecem em uma velocidade cada vez mais intensa. Sendo assim, é fundamental ficar por dentro das novidades, pois essa prática garante que você saiba quais são as principais tendências desse segmento tão estratégico para as empresas. Desse modo, poderá avaliar quais ferramentas podem ser aplicadas ao seu negócio para que ele se mantenha competitivo e sustentável no longo prazo.

Como vimos, existem diferentes tecnologias disruptivas e cada uma apresenta características distintas. Por esse motivo, é muito importante entender os objetivos dessas ferramentas para saber qual delas é ideal para a sua empresa e como podem ser utilizadas a seu favor. Considerando os benefícios desses recursos, vale muito a pena implementá-los no seu negócio.

Você quer saber outros detalhes de como funcionam e qual a importância das tecnologias disruptivas? Se sim, entre em contato com a Tegra. Estamos à disposição para ajudar!

Quais são os impactos da tecnologia e inovação nas empresas?

Quais são os impactos da tecnologia e inovação nas empresas?

As mudanças tecnológicas ocorrem em um ritmo cada vez mais acelerado e são inevitáveis. Empresas de diversos segmentos e diferentes portes estão passando por essas transformações. Diante desse contexto, cabe a pergunta: quais são os impactos da tecnologia e inovação nas organizações?

Essa não é uma questão fácil de ser respondida, porém, é necessária. Afinal de contas, as novas ferramentas influenciarão na dinâmica da empresa e na rotina dos profissionais. Nesse sentido, podemos dizer que elas interferem diretamente na economia.

Pensando na importância desse tema, neste artigo apresentaremos um breve panorama sobre o desenvolvimento da tecnologia e inovação nos últimos anos e destacaremos algumas inovações tecnológicas para o negócio e as práticas inovadoras que têm sido aplicadas nas empresas. Acompanhe!

Como tem sido o desenvolvimento da tecnologia e inovação?

Não é segredo para ninguém que as práticas tecnológicas e inovadoras têm ganhado cada vez mais importância na rotina das empresas. Em um âmbito empresarial, isso significa comercializar e produzir bens ou serviços que possam atender aos interesses ou superar às expectativas dos investidores ou consumidores.

Vale destacar ainda que a inovação tem se tornado tendência nos últimos anos, pois as empresas que optam por inovar escolhem também expandir no mercado. Além disso, as organizações que valorizam os processos inovadores tendem a desenvolver novas soluções e, consequentemente, aumentam as chances de conquistar novos consumidores e alavancar as vendas.

Em um mercado competitivo, as organizações alinhadas com as novas ferramentas tecnológicas e as inovações podem desfrutar de um grande diferencial. Afinal, a tecnologia e os processos inovadores otimizam a gestão e a operação e, assim, elevam a produtividade da empresa. Aliás, soluções inovadoras servem de estímulo para os colaboradores aperfeiçoarem o trabalho.

Estimular a inovação e a implementação de novas tecnologias leva as organizações a se preocuparem com outros temas importantes, como modelo de negócio, estratégia, relação com o cliente. Ainda, o investimento em novas ferramentas permite que as empresas abram novos mercados e reduzam custos, o que contribui para aumentar a competitividade do negócio.

Quais são as inovações tecnológicas de que seu negócio pode usufruir?

Há diversas ferramentas tecnológicas novas no mercado que são úteis para as organizações. Entre elas, estão o Business Intelligence, o Machine Learning e o Blockchain. Explicaremos com mais detalhes na sequência do artigo. Continue a leitura!

Business Intelligence

Conhecida como BI, essa prática abrange uma ampla diversidade de ferramentas que ajudam as empresas a coletarem dados de fontes externas ou sistemas internos. A diferença para o Big Data é que além de fazer o armazenamento e coletar, o Business Intelligence também agrupa e manipula um grande volume de dados, analisa e consegue extrair informações relevantes para os negócios. Diante disso, podemos dizer que o BI é um complemento das ferramentas de Big Data.

Machine Learning

Traduzido para o português, o termo significa aprendizagem das máquinas. A ferramenta faz referência à junção de outras duas tecnologias: IoT (Internet of Things ou Internet da Coisas) e AI (Inteligência Artificial ou Artificial Intelligence).

Todas essas ferramentas, somadas, possibilitam que as máquinas e os equipamentos comuniquem entre si. Dessa forma, eles podem trocar informações, fazer análises automáticas e tomar decisões por conta própria.

Além dessas questões, as máquinas podem aprender com as pessoas ou ambientes nos quais estão inseridas, inclusive, podendo mudar sozinhas os padrões de comportamento. Essa situação ocorre quando os dados começam a alterar, iniciam seguindo uma determinada tendência ou mudam de cenário. Em todos esses casos, o machine learning consegue adaptar-se às novas realidades.

Blockchain

O Blockchain é outra ferramenta relevante nesse universo. Isso porque ela utiliza a criptografia de dados e um método de cadeia de blocos. Ela é registrada, criada e não altera a cada vez que uma determinada transação é feita. Diante disso, podemos dizer que essa tecnologia contribui para aumentar a segurança das informações e, consequentemente, diminuem as chances de invasores conseguirem ter acesso a dados não autorizados das empresas, principalmente os sigilosos.

Quais os benefícios da tecnologia e inovação?

As empresas que investem em tecnologia e inovação têm diversos benefícios. Entre eles, estão as melhorias no relacionamento entre os funcionários e o fato de a companhia conseguir agregar mais valor no mercado. Destacaremos abaixo esses aspectos. Confira!

Torna o negócio mais competitivo

As organizações que investem nesses processos conseguem desenvolver novas soluções inovadoras que atendam ou superem os interesses dos clientes. Dessa forma, os negócios crescerão no mercado e, consequentemente, tornarão-se mais competitivos.

Melhora a relação entre os funcionários

Um empregado que trabalha em uma organização inovadora tende a se sentir mais inovador, incentivado e engajado a aperfeiçoar a cada dia. Isso porque inovar também significa evoluir em alguns aspectos, como a postura profissional, a valorização e o respeito aos colegas de trabalho e as formas de exercer uma determinada atividade.

É preciso destacar também que a inovação vai além de questões operacionais, pois está relacionada à otimização de processos de gestão em uma organização, os quais passam a ser calcados no bem-estar dos funcionários.

Em relação à produtividade, podemos citar algumas ideias inovadoras que ajudaram nisso. Entre elas, estão a automação de tarefas e o uso de aplicativos de colaboração. Todas elas melhoram o desempenho da equipe e criam um clima construtivo, ou seja, tornam mais dinâmica e eficiente a relação entre o time.

Agrega valor

As organizações que apostam em tecnologia e inovação conseguem agregar valor ao seu produto ou serviço. Afinal, os processos inovadores buscam entender as reais necessidades dos clientes, de modo a possibilitar que as empresas entreguem soluções mais atrativas e personalizadas.

Com o uso das ferramentas tecnológicas e inovadoras, as empresas vão além, pois elas permitem identificar gargalos, otimizar os recursos disponíveis e simplificar os fluxos de trabalho.

Como vimos, a tecnologia e inovação são indispensáveis e proporcionam diversos benefícios para as empresas. Entre eles, tornam o negócio mais competitivo, melhoram a relação entre os funcionários e agregam valor no mercado. Considerando esses aspectos, sem dúvida vale muito a pena implementar essas práticas em sua organização.

Este post foi útil para você? Sem sim, compartilhe-o com os seus amigos em suas redes sociais e permita que mais pessoas fiquem informadas sobre o assunto!

Aplicações web: o que são e quais suas vantagens? Entenda aqui

Aplicações web: o que são e quais suas vantagens? Entenda aqui

As aplicações web funcionam de forma semelhante aos aplicativos tradicionais, mas com uma diferença básica: são rodados na web. O uso desse tipo de sistema é uma tendência atualmente por conta da necessidade de economia de recursos e por gerarem menos problemas com infraestrutura interna de TI.

Assim, a preferência por esse tipo de sistema ajuda a otimizar a performance do empreendimento e a resolver outros problemas, dando mais agilidade aos processos. Portanto, entender os seus princípios e pilares é fundamental para colocar a empresa em destaque no mercado e promover o seu crescimento.

Suprir as demandas da empresa por software pode ser complexo, mas com atenção a esse tipo específico de aplicação o processo será certamente mais simples. Se quiser se aprofundar nesse assunto e saber o que são as aplicações web e quais as suas principais vantagens, leia os tópicos a seguir!

O que são aplicações web?

Os apps web são sistemas que rodam na internet. São como sistemas tradicionais que recebem uma entrada, processam informação e emitem uma saída. Contudo, eles são rodados e interpretados por um navegador. Por conta disso, envolvem um paradigma totalmente distinto de aplicações comuns. Esses softwares também são ecossistemas diferentes dos websites, uma vez que são mais completos e apresentam um dinamismo maior.

Se um site comum é mais voltado para dispor informações na tela, um web app consiste em interações constantes entre o usuário e o próprio sistema. A partir de um protocolo chamado HTTP, uma pessoa consegue se comunicar com uma máquina que fornece informações para acesso.

Para entender melhor as aplicações que rodam na internet, temos que ir mais a fundo no funcionamento da rede. Existem dois lados que conversam entre si: servidor e cliente. O lado servidor oferece arquivos e fornece a aplicação hospedada. Sua função principal é escutar requisições. Ao passo que o lado cliente envia requisições e recebe arquivos para baixar, o que o permite utilizar o sistema.

Em termos de desenvolvimento, os sistemas web envolvem três frentes: o front-end, o back-end e banco de dados. O front-end é responsável pela apresentação ao usuário. Ele lida com linguagens como HTML, CSS e JavaScript a fim de organizar a estrutura dos sites, a relação entre as páginas, bem como interações com o cliente. O front-end cuida também do design e da experiência do usuário.

O back-end, por sua vez, gerencia a parte do servidor, cuidando de questões mais técnicas e profundas, relacionadas com a lógica de interação entre a apresentação e o banco de dados, bem como respostas a requisições do usuário. Uma linguagem comum para desenvolvimento dessa parte é o PHP.

Por fim, temos o banco de dados. Essa parte está relacionada com as informações utilizadas pelos sistemas a fim de executar sua tarefa principal. O banco cuida das relações entre tabelas e a modelagem do mundo real para garantir que a aplicação consiga administrar esses dados de forma organizada. Uma linguagem popular para esse gerenciamento é o MySQL.

Quais são as vantagens das aplicações web?

Vamos agora estudar as principais vantagens de desenvolver apps para web.

Maior acessibilidade

Uma aplicação web é mais acessível aos diferentes perfis de usuários. Afinal, é uma forma democrática de permitir o acesso fácil a todos, já que o software não depende de sistema operacional, nem está preso a limitações de sistemas específicos. Além disso, todos sempre têm acesso a mesma versão, sem problemas de alinhamento e conformidade.

Aliado a esse fator está o quesito mobilidade. Aplicações on-line estão disponíveis para acesso em qualquer dispositivo, independentemente do tamanho ou da natureza dele. Assim, as informações são acessadas por todos os membros da empresa que precisam delas para suas funções. Não há limites geográficos, nem de tempo. Todos acessam o que querem a qualquer momento.

Sem limitação de espaço

Se uma aplicação roda no navegador, há maior flexibilidade em termos de espaço. Para a empresa, os serviços de hospedagem oferecem pacotes de armazenamento, mas eles podem ser expandidos de forma rápida, sempre que houver necessidade. Já para o usuário, existe a grande vantagem de não precisar instalar o app em uma máquina, assim não precisa de espaço em disco rígido disponível. Desse modo, todos podem usar.

Menor custo de manutenção

A manutenção e o suporte em apps web são outros fatores diferenciais. As alterações são feitas em apenas um local e todas as mudanças passam a ser visíveis para todos. Não há necessidade de realizar mudanças em diferentes sistemas específicos, o que evita gargalos nessa função. Isso pode ser feito sem interromper as atividades de nenhum dos usuários e sem excesso de custos.

Maior segurança

Aplicações on-line também envolvem maior segurança. Os softwares web não estão suscetíveis a problemas de falhas de sistemas físicos, nem de sistemas operacionais. Assim, não enfrentam problemas de deterioração dos hardwares internos, por exemplo. Não há suscetibilidade a vírus e infecções de arquivos de computador também.

Assim, as informações se tornam confidenciais e não sofrem problemas que afetam a sua qualidade. Desse modo, é possível manter a integridade, disponibilidade e proteção de acesso aos dados.

Além disso, apps web estão sempre protegidos com backups, criptografia e com redundância de servidores. Em casos de instabilidade, é possível rapidamente recuperar as atividades e os dados.

Melhor usabilidade

Além disso, existe mais um fator associado aos sistemas on-line: a experiência do usuário. Aplicações web são pensadas para oferecer uma boa experiência e conquistar o cliente de acordo com suas preferências. A responsividade é um bom exemplo, já que consiste em adaptar os apps para diferentes telas, a fim de permitir o melhor uso possível e gerar boas sensações na utilização.

Existe também a ideia de microinterações, que se baseiam em pequenos momentos que visam atrair o usuário e conquistá-lo, com interatividade e elementos visualmente interessantes.

Como obter auxílio no desenvolvimento dessas soluções?

Para ingressar nesse universo e obter apps web efetivos, o ideal é contar com serviços externos de desenvolvimento. A Tegra é uma companhia que oferece aplicações web feitas sob medida para cada cliente, de acordo com suas necessidades. Assim, é possível usufruir de todas as vantagens mencionadas e garantir modernização dos processos e melhores resultados.

As aplicações web são sistemas construídos como os tradicionais, mas que rodam em navegadores web, sob os princípios do modelo cliente-servidor. São apps que oferecem robustez, segurança, flexibilidade e melhor usabilidade, sendo uma ótima opção para empresas que desejam aproveitar tendências e se modernizar de modo a otimizar seus processos.

Se quiser saber mais sobre o assunto, entre em contato com a Tegra e garanta já a sua aplicação desenvolvida sob medida.

Machine learning: como utilizá-la com foco em inteligência de negócio?

Machine learning: como utilizá-la com foco em inteligência de negócio?

Você sabe do que se trata o termo machine learning? Em uma análise inicial, esse conceito pode parecer um pouco distante para muitas empresas. No entanto, trata-se de uma funcionalidade não tão complicada!

Está interessado em saber mais sobre o tema? Neste post, explicaremos detalhadamente o que é o machine learning, qual é a diferença entre machine learning e inteligência artificial e informaremos quais são as principais vantagens dessa estratégia. Continue a leitura!

O que é o machine learning?

A tradução desse termo já nos fornece dicas em relação ao seu significado. Isso porque, traduzindo para o português, “machine learning” significa aprendizado de máquina. Dessa forma, essa técnica faz referência à ideia de máquinas que apresentam a capacidade de aprenderem sozinhas por meio da análise de uma grande quantidade de dados.

Esse procedimento é feito por meio de algoritmos e do Big Data. Com um grande volume de dados, fica mais fácil identificar padrões de dados, criar conexões entre as informações e, assim, aprender a executar uma determinada atividade sem a ajuda humana e de forma inteligente.

É importante destacar também que os algoritmos utilizam as análises estatísticas com a intenção de prever respostas mais precisas e, com isso, podem entregar melhores resultados e com menos probabilidades de erros. Muito bom isso, não é mesmo?

Além disso, o machine learning pode ser dividido em duas categorias: supervisionada e não supervisionada. No primeiro tipo, o ser humano precisa interagir para controlar a entrada e saída de dados. Além disso, ele interfere no treinamento da máquina ao fazer comentários em relação à precisão das previsões. A máquina ainda consegue aplicar o que foi aprendido no algoritmo, utilizando esse conhecimento nas próximas análises.

Na categoria não supervisionada, por sua vez, os algoritmos fazem o uso do deep learning (aprendizagem profunda, traduzindo para o português) com o intuito de processar tarefas complexas sem a necessidade do treinamento humano.

Qual é a diferença entre machine learning e inteligência artificial?

Muita gente confunde os significados de machine learning e inteligência artificial, afinal de contas, esses conceitos se relacionam e são parecidos. No entanto, eles apresentam algumas diferenças entre si.

A inteligência artificial (IA) refere-se à capacidade de uma máquina imitar algumas características do ser humano. Pode ser, por exemplo, a tradução de idiomas, tomada de decisões, reconhecimento de fala etc.

O machine learning, por sua vez, é uma divisão ou um subconjunto da inteligência artificial. Dessa forma, podemos dizer que toda a aprendizagem da máquina conta com IA, no entanto, nem toda IA apresenta aprendizado automático.

O machine learning refere-se à capacidade de os computadores aprenderem sem serem programados de forma explícita. Essa ferramenta, portanto, apresenta a capacidade de aprender ou modificar-se quando exposta a um grande volume de dados. Com isso, podemos afirmar que o aprendizado de máquina é dinâmico e não há a necessidade de intervenção humana para realizar algumas mudanças. Isso torna o sistema menos dependente de especialistas humanos.

Quais são as principais vantagens do machine learning?

Inicialmente, as ferramentas do machine learning podem parecer um pouco onerosas. No entanto, elas apresentam algumas vantagens. Entre elas estão a capacidade de fazer o processamento de um grande volume de informações, a otimização das conversões, o aprendizado com comportamentos passados e o conhecimento do cliente. Falaremos sobre essas vantagens a seguir. Confira!

Processa grande quantidade de dados

O aprendizado de máquina tem a capacidade de fazer o processamento de um grande volume de informações e de fontes diversas. Com isso, torna-se possível revisar os dados e ter acesso a eles de forma constante.

Caso esse modelo seja bem treinado, o machine learning pode ajudar a sua empresa a identificar informações relevantes (comportamento do cliente, panorama do mercado da sua área de atuação etc.), transmitir as informações certas e ainda tem a capacidade de automatizar os processos internos da sua organização, o que contribui para otimizar a produtividade do seu negócio.

Vale destacar ainda que essa ferramenta pode consumir dados e identificar padrões ou informações relevantes em tempo real.

Aprende com comportamentos passados

Outro aspecto positivo em relação a essa tecnologia é que essa ferramenta tem a capacidade de aprender com resultados passados, com o objetivo de aperfeiçoar, de forma contínua, as previsões com base em dados novos.

Descobre as especificidades de cada cliente

Sem dúvida, o conhecimento das características dos clientes é vital para os negócios, pois ajudam as empresas a direcionarem a comunicação, as campanhas de marketing e vendas de forma a atender os interesses dos consumidores.

As ferramentas de machine learning ajudam as empresas a segmentarem os clientes. Dessa forma, torna-se mais fácil identificar vários segmentos do público-alvo e descobrir padrões comportamentais de forma mais precisa. Todos esses dados poderão ajudá-lo a segmentar os clientes de maneira adequada e, assim, será possível que a sua empresa guie cada indivíduo na sua jornada de compra.

Além disso, é importante destacar que o aprendizado de máquina é capaz de calcular o valor de vida útil do cliente com precisão, o que permite que as empresas possam fazer interações precisas com os consumidores.

Agora, você deve estar se perguntando: o que significa o valor da vida útil do cliente? Essa métrica é calculada baseada no histórico demográfico, de compras, de interações nas campanhas de marketing e ações que cada cliente toma.

Auxilia na conversão

Um consequência positiva do tópico anterior é que o aprendizado de máquina atua sobre os resultados obtidos, sendo possível trabalhar o marketing de maneira mais dinâmica e alinhado aos interesses dos consumidores. Com isso, aumentam-se as chances de retenção e conversão de clientes específicos, ou seja, as empresas que adotam essa prática tendem a aumentar o número de vendas.

O machine learning é uma tecnologia muito útil para as empresas, pois essa ferramenta é precisa na análise de dados, identifica padrões e consegue aplicá-los da melhor forma. Considerando os benefícios abordados sobre essa tecnologia, vale muito a pena contar com essa ferramenta no seu negócio.

Este post sobre machine learning foi útil para você? Entre já em contato com a gente! Estamos dispostos a ajudá-lo a esclarecer as suas dúvidas em relação ao tema.

Ferramentas de Pentest

Ferramentas de Pentest

Para a realização de um bom teste de vulnerabilidade é necessário uma  bom conjunto adequado de ferramentas para auxiliar o processo de auditoria. Muitas dessas ferramentas visam agilizar e facilitar a vida dos responsáveis desse processo, deixando os processos automatizados e mais eficientes.

Entre essas diversas ferramentas existe o Kali linux, que é uma distribuição linux de código aberto baseado no Debian que visa auxiliar na auditoria de segurança de sistemas, abrangendo desde Desktops a WEB, o projeto é mantido e financiado pela Offensive Security.

O kali linux possui grande relevância no mercado de segurança da informação, pois ele já vem equipado com uma grande quantidade de ferramentas para auditorias em computadores e seus sistemas. O Kali possui uma instalação bem simplificada, onde pode se baixar uma imagem de máquina virtual e rodar sem menores problemas, também conta com ISO’s de instalação.

Entre essa gama de ferramentas pré instaladas podemos citar o NMAP, John The Ripper, SetoolKit e Aircrack-Ng.

NMAP é um utilitário Open Source utilizado para exploração de redes locais ou remotas. Suas principais funcionalidades são:

  • Identificação de computadores de uma rede,
  • Detecção de portas abertas
  • Identificação de serviços de rede em computadores remotos
  • Detecção de sistema operacional.

Sendo muito utilizado em fases iniciais de uma auditoria, pois possui um grande poder de mapeamento de redes, assim possibilitando em fases iniciais descobrir potenciais vulnerabilidades e a partir deste ponto começa a buscar mais detalhada por falhas em servidores e em redes.

Setoolkit (The Social-Engineer Toolkit) é um framework open source voltado para Engenharia Social. A ferramenta possui vários ataques personalizados que permitem fazer ataques de forma rápida e confiável.

Um desses ataques mais notáveis é o Web Attack Vectors, que consiste em clonar um determinado site assim passando para a vítima a sensação de segurança, já que para ela a página é conhecida e confiável, depois que a pessoa navegar pelo site e efetuar o login no site clonado, as informações são imediatamente mandadas para o autor do ataque.

Aircarck-Ng é uma ferramenta voltada para fazer ataques em redes locais sem fio, sua principais funções são:

  • Quebra de chaves WEP e WPA
  • Descriptografia de arquivos capturados
  • Injeção de pacotes no Linux

Assim que conectado a rede é possível fazer capturas de pacotes trafegados na rede, assim sendo possível pegar informações cruciais sobre os usuários presentes na rede.

John the Ripper é um software utilizado para quebra de senhas, ele é capaz de fazer força bruta em senhas cifradas em DES, MD4 e MD5 entre outras.

Ele possui um extenso dicionais de palavra que contribui na tarefa de quebra de senhas, além de poder gerar ataques com base na lógica do sistema alto, caso seja possível ter acesso ao código da função. Também é possível fazer ataque de colisão de hashes específicos.

Utilizando o Kali linux e a gama de ferramentas existentes nele é possível fazer o teste de vulnerabilidade  desde das fases iniciais, onde se utiliza de investigação, levantamento de dados até os ataques mais sofisticados como Engenharia Social, Sql Injection entre outros. Assim podendo recolher as métricas para a criação do documento de auditoria do sistema.

Um bom conjunto de ferramentas durante a auditoria de um sistema pode ser o diferencial em um teste de vulnerabilidade razoável e um de alta qualidade, já que possibilita varrer uma quantidade maior de falhas e vulnerabilidades existente no sistema.

Segurança na Web 2019

Segurança na Web 2019

Criar aplicações 100% seguras é um grande desafio para as organizações, embora algumas precauções sejam tomadas no que diz respeito ao desenvolvimento e deployment seguro, precisamos nos preocupar também com falhas e brechas que podem ser abertas por uso inadequado da parte dos usuários. É notório que muitas pessoas não costumam tomar as devidas precauções ao utilizar a internet, conteúdos muitas vezes duvidosos como links que oferecem recompensa por cliques por exemplo é algo muito compartilhado em redes sociais e aplicativos de comunicação. Em entrevista concedida à BBC sobre os 30 anos da World Wide Web (https://www.bbc.com/portuguese/geral-47536362) Tim Berners-Lee, o criador da mesma, mostra sua preocupação com o futuro da rede devido à desinformação dos usuários.

É nosso papel blindar as aplicações que desenvolvemos contra todo tipo de vulnerabilidade, sejam elas técnicas ou humanas. O volume 24 do ISTR (Internet Security Threat Report) relatório produzido pela Symantec em Fevereiro de 2019 revela os principais tipos de ataques feitos por cibercriminosos em 2018:

Formjacking

Resultado de imagem para Formjacking

O uso de código JavaScript para roubo de dados sensíveis como detalhes de cartão de crédito está entre os principais tipos de ataque. A cada mês cerca de 4800 websites são comprometidos com código malicioso. Os ataques frequentemente ocorreram em e-commerces varejistas de pequeno e médio porte, que vendem bens dos mais variados tipos.

Criptojacking

Resultado de imagem para Criptojacking

Criptojacking – o uso dos dispositivos de vítimas para a execução de código minerador de criptomoeda sem seu consentimento – teve uma pequena diminuição em comparação ao ano anterior, quando ocorreram cerca de 69 milhões de eventos desse tipo. A quantidade de ataques tem certa relação com a valorização de criptomoedas como o Monero, porém não na mesma proporção mostrando que para os cibercriminosos, ataques desse tipo ainda é algo rentável.

Email com conteúdo malicioso

Imagem relacionada

Outro ponto preocupante sobre os ataques, é a quantidade de emails utilizados para ataque, em média 48% dos e-mails recebidos por funcionários de pequenas e médias empresas contém arquivos Office com conteúdo malicioso.

Os anexos geralmente contém scripts que fazem download de malwares que infectam os computadores das vítimas abrindo portas para o comprometimento da rede corporativa.

Cloud

Imagem relacionada

O ponto fraco das aplicações em nuvem em 2018, segundo o ISTR, foi a má configuração dos recursos como banco de dados e armazenamento, o que levou à brechas de segurança que resultaram em mais de 70 milhões de registros roubados ou vazados. Vulnerabilidades também foram exploradas em serviços como Kubernetes e APIs públicas expostas sem os devidos cuidados com segurança. Existem diversas ferramentas para busca de falhas de segurança em aplicações sendo utilizadas pelos cibercriminosos.

Como manter nossas aplicações seguras?

Resultado de imagem para Como manter nossas aplicações seguras?

Podemos proteger nossas aplicações de ataques seguindo boas práticas de segurança em todas as etapas do ciclo de vida destas, do desenvolvimento ao deploy e hospedagem. A OWASP (Open Web Application Security Project) é uma organização sem fins lucrativos dedicada à segurança na web. Entre os diversos materiais oferecidos pela organização, está o OWASP Top 10, um relatório que lista as 10 vulnerabilidades mais críticas em aplicações web. A última versão do relatório foi publicada em 2017, e mostra além das vulnerabilidades, formas de evitar que as aplicações sejam comprometidas, iremos falar sobre algumas delas a seguir.

Injeção

Falhas de injeção como SQL, noSQL, OS ou LDAP, caracterizam-se pelo envio de dados não confiáveis à um interpretador como parte de um comando ou consulta. O atacante pode extrair dados sensíveis ou executar comandos sem autorização. A seguir temos um exemplo de query vulnerável à esse tipo de ataque:

String query = “SELECT * FROM contas WHERE id_cliente = ” + request.getParameter(“id”) + “;”;

No exemplo, um comando SQL mal intencionado pode ser injetado na query através do parâmetro sem tratamento no servidor.

Como evitar?

  • Evite o uso de concatenação de parâmetros, prefira APIs seguras como Mapeamento Objeto Relacional (ORM) ou declarações com tratativa de tipo.
  • Utilize validação server-side das entradas fornecidas.
  • Em comandos SQL utilize LIMIT ou outros controles para mitigar o risco de retorno massivo de registros.

Autenticação Quebrada

Quando uma aplicação possui autenticação vulnerável, permitindo aos atacantes acessarem dados das contas, podendo comprometer todo o sistema, caso os acessos contenham privilégios administrativos. Um exemplo comum de ataque, é o acesso ao sistema utilizando uma lista de possíveis senhas e força bruta para realizar a autenticação.

Como evitar?

  • Utilize autenticação multi-fator para impedir ataques como força bruta, por exemplo.
  • Não fazer o deploy das aplicações contendo credenciais padrão, principalmente às de administrador do sistema.
  • Utilize validação de senhas, não permitindo senhas fracas e comumente usadas.
  • Implemente políticas de rotatividade de senhas, com expiração automática.
  • Garanta o registro, recuperação de credenciais e acesso controlado à APIs.
  • Limite a quantidade de tentativas falhas de login.
  • Prefira controle de sessão server-side, evite o uso de cookies.

Exposição de Dados Sensíveis

Quando não existe proteção correta dos dados sensíveis como número de cartão de crédito, CPF, RG entre outros. Dessa forma, esses dados podem ser roubados e utilizados para roubo de identidade, fraude e outros crimes. Falta de criptografia para tráfego desse tipo de informação é uma falha comum que leva à esse tipo de vulnerabilidade.

Como evitar?

  • Identifique quais são os dados sensíveis de sua aplicação.
  • Não armazene dados sensíveis desnecessariamente, descartando-as assim que possível.
  • Use criptografia ao trafegar os dados, protocolos criptografados como HTTPS garantem uma transmissão segura de ponta a ponta.
  • Não utilize cache para dados sensíveis.
  • Não armazene senhas como texto puro, utilize funções hash para armazenamento e verificação.

XXE (Entidades XML Externas)

Processadores XML antigos processam referências à entidades XML externas dentro do próprio documento, permitindo o uso dessas entidades para descoberta de arquivos internos, execução remota de código, scanning de porta e ataques DDoS.

Como evitar?

  • Se possível, utilize formatos de dado menos complexos como JSON.
  • Utilize as versões mais atualizadas de processadores XML.
  • Implemente validação server-side das entradas de arquivo XML utilizando filtro “whitelist”.

Controle de Acesso Quebrado

Quando restrições sobre o que um usuário autenticado pode fazer não são aplicadas corretamente, permitimos que atacantes acessem funcionalidades ou dados não autorizados. Um usuário mal intencionado pode por exemplo tentar forçar o acesso à URLs administrativas: https://aplicacao.com.br/perfil https://aplicacao.com.br/admin

Como evitar?

  • Permita acesso livre apenas aos recursos públicos da aplicação, quanto ao restante restrinja aos perfis específicos.
  • Salve logs das ações realizadas pelos usuários
  • Desabilite a listagem de arquivos no servidor

Configurações Incorretas de Segurança

Uma das vulnerabilidades mais vistas, é a configuração incorreta de servidores, banco de dados etc. no que diz respeito à segurança. Muitos utilizam as configurações padrão, deixam seus serviços de armazenamento abertos, permitem mensagens de erro não tratadas, exibindo informações críticas de segurança aos usuários. Como evitar?

  • Remova ou bloqueie features desnecessárias à sua aplicação de servidores.
  • Desabilite quaisquer portas padrão que estejam expostas no seu servidor e não são utilizadas. Ex. ssh.
  • Não exiba mensagens de erro com a stacktrace ou com detalhes sobre a segurança de sua aplicação.
  • Remova quaisquer aplicações de exemplo que podem vir junto com alguns servidores. Ex.: página de boas vindas do Apache.

Uso de componentes com vulnerabilidades conhecidas

Resultado de imagem para Uso de componentes com vulnerabilidades conhecidas

O uso de componentes, bibliotecas ou frameworks com os mesmos privilégios da aplicação pode abrir brechas para atacantes explorarem suas falhas e obterem acesso privilegiado à recursos importantes.

Como evitar?

  • Remova dependências desnecessárias de seus projetos
  • Sempre utilize componentes de fontes oficiais e repositórios com links seguros e populares.
  • Desconfie de componentes que não são mantidos com frequência ou não recebem patches de segurança.
  • Realize scan de segurança de seus componentes utilizando ferramentas de check de dependências.

Essas são algumas das vulnerabilidades comuns listadas no ranking da OWASP, e as técnicas propostas para evitá-las. Como dito no começo deste artigo, nem todos os usuários da web tem conhecimento sobre as formas de evitar ataques e as precauções que precisam ser tomadas para o uso responsável da internet, mas nós como desenvolvedores, administradores e engenheiros devemos assegurar que mesmo mediante falhas humanas, nossos sistemas continuem confiáveis e seguros.